CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Nossa Árvore
A árvore da nossa vida
Textos

VIDA

tempestade ajoelhando para a única flor
chuva esvaziando a escuridão da nuvem
carinho aquecendo um coração gelado

vida é isso..
.


 
   Todo texto do projeto Nossa Árvore é para algum descendente, por mais distante que esteja...
 
 
 Sobre a vida, quero conversar com minha pentanetinha Tamira, de 20 anos, que está passando por um momento de coração doído.
 
 Gonzaguinha foi muito inspirado ao compor O que é? O que é?  Veja este trecho, Tamira:
 
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
 
 A vida não é definida; Gonzaguinha a sugere com um leve toque no coração. Mais adiante, canta:
 
E a vida
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida de um coração
Ela é uma doce ilusão
Êh! Ôh!
 
E a vida
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão
 
 O que é? O que é ? Eu procurava pela resposta há dias atrás, quando fui interrompido pela brutal notícia de que o Museu Nacional do Rio de Janeiro estava em chamas, com destruição total. Descaso com a vida, este museu personificava a memória da vida.
 
 Lá havia a antropologia biológica, a arqueologia, a geologia. Havia relíquias como o crânio da Luzia, nome carinhoso dado àquela considerada “a primeira brasileira”, que tinha seus 23 anos na época, há pouco mais de 11.000 anos atrás.
 
  Louvar a memória é louvar a raiz dos frutos.
 
  Algo somente possível por meio de pessoas especiais, dedicadas à missão de preservar a nós mesmos enquanto ainda vivíamos em nossos ancestrais, como você, Tamira, vive em mim, hoje. Mas preservar com alma, tocando nosso coração, levando ao pé da letra o que disse Cora Coralina: Nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.”.
 
 Se o museu provocava sentimentos em visitantes, pesquisadores, gestores e funcionários, o incêndio indignou um país inteiro, mas ressaltou que o toque no coração é que faz a coisa infinda ser dia ainda, ser a vida...
 
 Tamira, meu bem, se abre que a vida vai tocar seu coração novamente... vai parar de doer.

   Beijos do pentavô.
Cláudio Bertini
Enviado por Cláudio Bertini em 10/09/2018
Alterado em 13/09/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Desejando copiar e utilizar nas condições permitidas, você deve citar a autoria de Cláudio Bertini e o site www.nossaarvore.prosaeverso.net ... Obrigado.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários